domingo, novembro 20, 2011

SWU 2011 - Emoção e Estafa tudo junto ao mesmo tempo


Well, ano passado fiz um post sobre o SWU falando muito mal. Muito mal mesmo.

Tirei só um dia para ver o Queens of The Stone Age e me arrependi profundamente de ter feito isso. Passei nervoso logo na entrada, afinal 3hrs só pra entrar num festival é de acabar com o humor de qualquer pessoa.  O line-up dos 3 dias era composto de uma banda principal e restos, desorganização, equipe despreparada, etc. etc.etc., eu poderia listar 1000 razões para, quando soube que ia ter esse ano, dizer que não iria com a boca cheia.

Bem, apaguei a lingua.

Quando soube que no dia 14/11 teríamos Down, comecei a balançar… Mas ainda assim, não iria. Depois disseram que o FNM viria. Ok. Já tinha me satisfeito no Maquinária. E então, no mesmo dia confirma o Alice in Chains e o Stone Temple Pilots. De quebra, Megadeth.

Começou a valer a pena pagar os R$210 para ir até Paulínia correndo o risco de passar por tudo de novo.

Esse festival, com essas bandas confirmadas, teve um significado muito especial pra mim pois, logo após, seria o meu aniversário de 30 anos e todas essas bandas (entre outras tantas), fizeram parte da formação do meu carácter musical.



Ingresso dos dois dias e uma inusitada
pulseirinha para quem quisesse beber.
Então, fico sabendo que o Hole confirmou também. Seria meio óbvio ela não tocar no dia 14, afinal, boa parte dos músicos que estariam tocando ali ODEIAM a Courtney Love e é com esse tema que eu passo agora a falar das bandas.

Consegui passe livre para ir no dia 13 e mesmo tendo o show do Duran Duran e Chris Cornell, fiquei a postos no palco em que ia rolar o show do Hole.

Entre algumas bandas indies com recursos eletrônicos e a tentativa forçada de parecer interessante, o público que estava por ali ia mudando da hora que eu cheguei até o momento em que se aproximava o show talvez mais aguardado da noite. Não só pelos fãs mas também pela imprensa e curiosos em ver a viúva de Kurt Cobain.

Não vou entrar no dia 13 inteiro e falar sobre a confusão envolvendo o Ultraje a Rigor com os imbecis da trepe do Peter Gabriel porque esse assunto já foi exaustivamente discutido e eu não vi nada na hora.

[Sobre o Hole] 

Pois bem, na hora do show, a quantidade de fotógrafos que surgiu ali além dos chupa-saco de alguém com uma credencial para tentar entrar no backstage foi abusrda,  assustando a organização que até chegou a perder a paciência com todos se espremendo para tirar uma foto da polêmica Courtney Love que entrou no palco junto com meia duzia de modelos apresentando-se como "o novo Hole".

Ela entra, fala fala fala… Toca musicas do seu ultimo álbum que não dá para chamar de sucesso. Fala mais um pouco, toca alguns sucessos do Live Through This incluindo Violet (que eu me esgoelei de cantar lembrando meus shows imaginários em casa ouvindo no ultimo volume) e então alguém na plateia passa a provocá-la e de onde eu estava, não dava pra ver o que era. Mas só sei que ela ficou MUITO PUTA. Ela xingou uma vez, continuou o show. Xingou de novo e dessa vez xingou e xingou e xingou, falou do seu passado e da frustação da situação envolvendo o Kurt + Dave Grohl e saiu do palco.

Eu fiquei meio "@.@ WFT?!?" mas, tratando-se da instável Courtney Love, não me surpreendi. Ela sempre foi assim, desde quando o Kurt era vivo. Se pá desde antes dos dois se conhecerem…

Ela nunca foi bem quista pelos membros do Nirvana e não é de hoje que ela e o Dave se odeiam.

Enfim, ela voltou continuou tocando e falando e foi isso. E entre guitarras mal tocadas e musicas mal cantadas, esse foi o show do Hole.

Quem se surpreendou e achou "um absurdo" ela ter xingado ou a falta de "musicalidade" do show dela, NUNCA deve ter ouvido falar da banda ou da Courtney.

Vi por ai um povo indignado com a situação.

Queridos… Vocês deveria se indignar com a fome no mundo, a pobreza da Africa, a corrupção no Brasil e até com o sumiço das abelhas mas não com o comportamento da Courtney Love que NUNCA foi exemplo de ser-humano, pelo contrário, sempre foi um white trash de marca maior. Nem nos discos as musicas são bem tocadas rs. E antes de falar merda, é melhor nem falar nada ok? =)

Coooontinuando… Esse post vai ser longo…

[Dia #2 14/11] 

Alugamos um ónibus para o dia 14/11 com uma galera super legal. Nos preparamos ao máximo para as eventualidades, tudo dentro das regras do festival.

Sinceramente, não vou entrar no mérito organização, sustentabilidade nem nada disso pq sabemos que tudo é uma puta hipocrisia do caralho. Então vamos ser realistas e assumir que estávamos ali somente pelas bandas.

Não contávamos que ia estar chovendo. Pelo contrário, a previsão do tempo era de calor e nublado. Não chuva. Não 12hrs de chuva. A lama não incomodou tanto afinal, é pra isso que serve meu coturno. Diferente das fofas de sapatilha atolando seus pézinhos na lama fétida e infecciosa do banheiro quimico.

[DOWN]

Chegamos e o primeiro goal do dia seria ver Phil Anselmo ao vivo depois de muitos anos sem vir ao Brasil. Não sei exatamente quando foi o seu último show e estou com preguiça de ir no google ver só pra parecer informada mas deve ter sido em algum festival com o Pantera.

A bandeira já estava hasteada e muita gente aguardando terminar o show do Black Rebel Motorcycle Club (que eu até que gostei) para finalmente ver o Down. Entra Phil Anselmo e anuncia que tocaria o Nola INTEIRO! A galera vem a delirio e a cada música tocada, o SWU vem abaixo. No meio do show um cara se levanta do meio da galera com PANTERA tatuado de fora a fora no peito ganhando o respeito de Phil Anselmo fazendo com que ele nos agraciasse com 10 segundos de Walk. Phil Anselmo provoca dizendo: "Se o Down fizesse um show individual, todo mundo iria?? SIIIM e ele completa "Ok então. A venda de ingressos está garantida!" hahahahaha No final do show, até a minha testosterona estava aflorada.

Ok. Tempo para descansar até o próximo show: Megadeth. ERRADO! A chuva mais uma vez não nos deu trégua.

[Megadeth] 

Eu estava bem longe do palco, por opção. Depois de 3 anos consecutivos, não tem muita surpresa. Curti meu som de longe, de boa e "sequinha". David Mustaine trouxe seus sucessos mais manjados do Rust in Peace porém, com pouco tempo de show é o que dava pra fazer. Foi muito phoda, como sempre, e o Mustaine até sorriu… Scary, rs…

Depois do Megadeth, a chuva não parou mais. O próximo show pela qual eu estava aguardando era o Stone Temple Pilots.

[Stone Temple Pilot] 

Que apresentação MEMORÁVEL! Mesmo com a chuva se intensificando já logo no começo, cantei TODAS as músicas a plenos pulmões. Eu estava super ansiosa para vê-los desde quando perdi o show que teve ano passado.

Meo Deos que show foi esse!!! Nenhum creyço teve a dignidade de comentar sobre um dos melhores shows do SWU já que o objetivo é mostrar alguma coisa pra alguém. Porque falar de STP? Ninguém conhece né??

Lembro-me de quando ganhei meu primeiro CD deles, o Core, em uma promoção de rádio em 94' e desde então não parei mais de ouvi-lo imaginando, assim como outros plays de outras bandas, como seria vê-los ao vivo.

Ver Scott Welland de terno (LINDOOO!) munido de seu megafone e cantar todas as músicas do começo ao fim foi, inexplicável. Mesmo debaixo de chuva já com os cabelos bem molhados… Foi-se o pouco de energia que eu tinha e a essa hora, nem tinha mais a minha dignidade.

No final da ultima música, fomos nos posicionar para o Alice in Chains e já tinha sido acordado entre eu e o Fê que FNM não veríamos.

[Alice in Chains] 

EXAUSTÃO. É essa a primeira palavra que vem a minha cabeça quando lembro do show do AIC, infelizmente.

Quando eles entraram no palco, nas pontas dos pés me forcei a ver Jerry Cantrell para sentir de verdade que eu estava vendo mesmo o AIC. A plateia se dividia entre o cansaço e a emoção de vê-los materializados na nossa frente tocando as músicas que, assim como a maior parte das bandas, esperamos 15 anos para ver ao vivo. Jerry Cantrell brinca "What a nice weather hãn?!?" Por conta da chuva que não parava, só aumentava e eu fui obrigada a gritar "isso porque vc é de Seattle seu FPD!!"Hahahahaha... William DuVall mostrou que é bom mas, ele meio que não "orna" com a banda, isso é fato. Mesmo assim, sou muito grata por ter tido a oportunidade de vê-los ao vivo, já os mais cabeçudos e ignorantes que NUNCA viram AIC, tiveram a audácia de falar mal porque não era o Layne. Ele se matou curtindo a heroína o quanto conseguiu. Tirou da gente a oportunidade de ver as nossas musicas preferidas ao vivo. Vocês deviam calar a boca e também ficarem agradecidos por terem tido a oportunidade de ver musicas como Nutshell, Man in the Box, Them Bones ao vivo. Caso contrário, já sabendo disso, não deviam ter gasto seu precioso dinheiro e muvucado o ambiente dando a oportunidade para pessoas como eu, ver o show mais de perto.

Bem, no meio do show depois de notar que eu e mais umas 30 pessoas estávamos dentro de uma poça de água fedendo a mijo, molhada e exausta, decidi sair dali e me abrigar em um lugar que não estivesse chovendo.

Só um adendo: que farofada fazer o coitado do Mike Inez tocar com a camiseta do Manifesto hein?!?

[Faith no More] 

Adorei ver o show deles em casa, na minha TV em HD.

A diferença entre o show do Maquinária vs o show do SWU é que eles estavam de branco. Para quem não teve a oportunidade de vê-los, entendo o deslumbre até para os creycinho que nunca nem tinham ouvido algum som deles.

Foi o melhor show da minha vida? Não no dia 14.

Eu vi o Down, STP, Megadeth e AIC. Foi o melhor FESTIVAL da minha vida.

Repito? Aqui, nem pudendo. Num Wacken na Alemanha talvez. Mas aqui, nem fodendo.

Parece que o Foo Fighters vem por ai. Espero que não seja no tal Lollapalooza e que a proposta de Foo Fighters por R$50 seja ao menos considerada.

Btw, só fui descansar esse fds. Depois de tudo isso e de completar 30 anos.

[UPDATE] 

Foo Fighters vem no Lollapalooza. Por muitos dinheiros brasileiros, longe dos R$50 conto,  num show que nem tem o set inteiro pois, o show deles tem 3hrs. ¯\_(ツ)_/¯

Nenhum comentário: